Como melhorar o equilíbrio? O Pilates pode ajudar

Turma de idosos praticando Pilates

O equilíbrio é uma função importante em todas as fases da vida. A educadora física formada em Pilates e diretora técnica do Pyrrho Pilates, Carla Pyrrho, afirma que a falta de equilíbrio pode causar problemas sérios. Dentre eles, a alteração da marcha, que pode causar as perigosas quedas. Assim, saber como melhorar o equilíbrio é importante para elevar a qualidade de vida. Uma das opções mais eficientes para cumprir esse objetivo é a prática do Pilates.

“O Pilates melhora a postura, a consciência corporal, a percepção, o controle motor e a propriocepção”, explica Carla Pyrrho. A postura correta interfere no equilíbrio de forma positiva. Por sua vez, o equilíbrio tem relação com a capacidade de executar as tarefas do dia a dia de forma segura. Resumindo, um corpo equilibrado vai permitir que as atividades sejam realizadas com estabilidade, segurança  e eficiência.

Carla Pyrrho conta ainda que o equilíbrio auxilia na coordenação motora e no aumento da força. Por essa razão, é crucial encontrar formas eficazes de como melhorar o equilíbrio, pontua a especialista também em fisiologia do exercício.

Por que é importante saber como melhorar o equilíbrio

O fator principal é que a pessoa equilibrada consegue responder de forma mais rápida ao que está acontecendo ao seu redor. Isso significa que ela terá muito mais habilidade e, assim, poderá evitar as quedas e cumprir melhor suas tarefas diárias. A notícia boa é que o equilíbrio é uma função capaz de ser desenvolvida por meio de treinos específicos.

O desenvolvimento do equilíbrio proporciona ganhos incríveis em qualquer fase da vida. No entanto, alguns grupos exigem uma preocupação maior com esse assunto. Entre eles, estão os idosos, as gestantes e os portadores de enfermidades ou de necessidades especiais.

Para essas populações, ter equilíbrio tem relação direta com saúde e funcionalidade. Apesar disso, a prescrição de exercícios para esses públicos exige cautela. Ou seja, o profissional que vai orientá-los deve levar em conta suas limitações. Dessa forma, será possível fazer as adaptações necessárias para atender às necessidades específicas.

O controle motor  e a manutenção do equilíbrio

O controle motor  é o responsável por promover o equilíbrio e a orientação da postura. Ele resulta da atuação conjunta e integrada dos sistemas sensorial, motor, nervoso, visual e vestibular. Nesse sentido, dá para compreender a importância do controle motor  na efetivação das tarefas rotineiras. Sendo assim, as alterações na postura, no movimento e na noção espacial podem gerar problemas no equilíbrio e interferir na qualidade de vida das pessoas.

A relação entre equilíbrio e os sistemas do corpo humano

O equilíbrio resulta da interação de vários sistemas do corpo, como o vestibular, visual, do sistema nervoso central, cardiovascular, esquelético e ósseo. Ou seja, ele envolve praticamente toda a estrutura do corpo humano. “São as alterações nas funções desses sistemas que provocam desequilíbrio”, afirma Carla Pyrrho.

Se considerar o equilíbrio como a habilidade do sistema nervoso central de ajustar instabilidades, a interação é apenas do sistema vestibular, visual e do sistema proprioceptivo. “Alterações do sistema nervoso central, como o Parkinson e o Alzheimer, além da administração de medicamentos em geral também influenciam no equilíbrio”, ressalta a especialista.

Em relação aos desequilíbrios momentâneos, eles podem ocorrer nas mudanças bruscas da posição do corpo. “Há uma diminuição momentânea da pressão arterial, restabelecida após alguns minutos em uma posição estática. Esse fenômeno fisiológico é conhecido como síndrome da hipotensão ortostática”, destaca.

Como melhorar o equilíbrio do idoso

A preocupação com o equilíbrio é ainda mais importante entre a população idosa. “Isso ocorre, porque na fase mais avançada da vida há muitas perdas relacionadas aos sistemas do nosso organismo”, esclarece Carla Pyrrho.

A perda do reflexo ao girar a cabeça, por exemplo, pode provocar desequilíbrio, quando há rotação do tronco. Por consequência, há o desvio da marcha. A especialista aponta que os distúrbios decorrentes do comprometimento do sistema vestibular no idoso costumam estar associados a outros sistemas responsáveis pelo controle postural. Entre eles, estão a visão e a capacidade de reconhecer a localização espacial e a orientação do próprio corpo.

Idoso realizando aula de Pilates

Como melhorar o equilíbrio Conheça o pilates / Arquivo pessoal Carla Pyrrho

A educadora ressalta ainda que a perda de massa muscular é acompanhada pela perda de força e coordenação. Ela explica que a diminuição no número de fibras de contração rápida faz com que a marcha fique mais lenta. Em razão disso, o indivíduo, especialmente o idoso, fica mais propenso ao desequilíbrio.

Nesse contexto, o equilíbrio tem sido tema de muitos estudos nos últimos anos. Esse interesse geral tem uma boa justificativa. Como o desequilíbrio é decisivo para o aumento do número de quedas, isso reflete, inclusive, nas discussões que cercam a saúde pública. O motivo é simples, as quedas causam patologias, além da perda de autonomia e dependência e podendo também levar o idosos à morte. Queda é uma das principais causas de morte na população idosa.

Assim, procurar como melhorar o equilíbrio do idoso vai ser definidor da autonomia, independência, longevidade e saúde integral desse público.

Equilíbrio postural em crianças e adolescentes

Avaliar o equilíbrio nas crianças e adolescentes pode parecer um exagero. Porém, engana-se quem pensa assim. Em outras palavras, essa análise é o que  vai permitir a identificação antecipada de restrições neurossensoriais. Assim, será possível fazer intervenções precoces para resolver qualquer questão relativa ao equilíbrio.

Normalmente, as crianças possuem uma rotina bastante ativa. Boa parte das brincadeiras nessa fase envolve gasto de energia intenso e exigência física. Por sua vez, a prática de atividade física é um fator que reflete no equilíbrio. Logo, é inegável que o estilo de vida nos primeiros anos contribui para o desenvolvimento adequado da capacidade motora e funcional.

Manutenção do equilíbrio na gestação

A gestação causa muitas mudanças na mulher. Assim, não é só o corpo que muda. Os hormônios e a mente da gestante também sentem os efeitos da gravidez. A prática do Pilates na gestação traz uma série de benefícios. Mas é preciso ficar alerta, porque existem contraindicações. Por isso, o treino de equilíbrio com a gestante demanda cautela.

Treinar equilíbrio  na gestação, no entanto, é super importante. O equilíbrio vai ajudar a mulher durante todo o processo de evolução da gravidez. Com o crescimento da barriga, o centro de gravidade da mulher sofre alteração. Como resultado, aumenta o risco de quedas, por exemplo. Por essa razão, o trabalho de equilíbrio precisa ser desenvolvido com segurança.

Portanto, é fundamental que a gestante seja acompanhada por um bom profissional. Ele precisa compreender as peculiaridades da sua condição e assegurar uma prática prudente, mas assertiva. Sobre o Pilates para gestante, tem um artigo no blog bem completo tratando do assunto. Para ler, basta clicar aqui.

Como melhorar o equilíbrio com o Pilates

A ciência comprova que a prática do Pilates melhora o quadro geral do indivíduo. Isso inclui, por exemplo, a localização espacial, a noção de movimento e de espaço, e a parte visual. E é fato que todos eles estão ligados à função do equilíbrio. Assim, o Pilates se mostra eficiente tanto para a recuperação quanto para o desenvolvimento do equilíbrio.

O Pilates trabalha intensamente o centro de força do indivíduo, também conhecido como power house. Essa região é composta por importantes músculos, como do abdômen e do assoalho pélvico. Esses músculos, por sua vez, ajudam na estabilidade do corpo. Ou seja, eles exercem papel fundamental na sustentação da coluna, favorecendo a manutenção da postura.

Idoso realizando aula de Pilates na Step Chair

Pilates responde como melhorar o equilíbrio / Arquivo pessoal Carla Pyrrho

Assim, quanto mais desperta e equilibrada essa região, melhor será a estabilidade. Consequentemente, melhor será o equilíbrio. Trabalhar os músculos estabilizadores de forma dinâmica, portanto, é crucial para a manutenção do equilíbrio. E o Pilates é um método excelente nesse quesito.

Nesse contexto, fazer aulas Pilates se torna ainda mais benéfico. “O Pilates considera o indivíduo como ser integral. Ele reúne princípios de equilíbrio entre corpo, mente e espírito. Além disso, melhora a respiração, a força, o equilíbrio e a propriocepção. Também auxilia na coordenação, ritmo e no controle neuromotor”, justifica Carla.

Atenção na escolha do profissional

A escolha do profissional fará toda a diferença, para que o aluno usufrua dos benefícios do Pilates. Os alunos que fazem parte dos públicos especiais devem ter um cuidado ainda mais especial. É fundamental buscar profissionais com uma formação de qualidade e experiência para atender a sua condição.

O bom instrutor fará perguntas, para identificar as necessidades de cada aluno. O professor é quem vai materializar o seu objetivo. Portanto, atenção na hora de escolher o profissional com quem terá suas aulas.

No mais, é fazer sua parte. Frequentar as aulas, seguir as orientações e adotar um estilo de vida saudável são algumas dicas. Associar a prática do Pilates a uma alimentação rica em nutrientes vai ajudar em todos os aspectos de sua vida. Ou seja, vai muito mais além de entender como melhorar o equilíbrio. Experimente. Agora é só buscar o profissional adequado e dar início a suas aulas.

, , , , , , ,
Post anterior
Equipamentos para estúdio de Pilates: kit essencial
Próximo post
Power house: saiba tudo do nosso centro de força

Mais Posts:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

Menu

Pin It on Pinterest

Share This