Importância da flexibilidade para o corpo, saúde e vida

Saiba a importância da flexibilidade para a vida

O que é ser uma pessoa flexível? O conceito possui várias vertentes, relacionadas tanto ao aspecto físico quanto ao cognitivo. Nesse artigo, vamos tratar da importância da flexibilidade enquanto capacidade física, as implicações causadas pela ausência dessa capacidade no dia a dia das pessoas e como o Pilates atua no seu desenvolvimento e manutenção.

Mas, só para começar você precisa saber que a flexibilidade tem uma relação direta com a capacidade de realizar tarefas rotineiras com mais eficiência, conforto e naturalidade. Ou seja, ser flexível te garante não apenas mais saúde, mas te proporciona um dia a dia mais agradável e eficiente.

O que é flexibilidade?

Embora seja fácil imaginar o que é ser uma pessoa flexível, é importante entender o conceito da expressão para compreender a real importância que ela traduz. Flexibilidade, de acordo com a literatura acadêmica, é uma habilidade física que possibilita ao indivíduo uma maior amplitude articular na execução de movimentos, associada ao máximo alongamento do músculo, sem que isso lhe provoque lesões, dores ou desconfortos. Portanto, quanto mais flexível um indivíduo é, melhor é a sua capacidade executar movimentos, dos mais simples ao mais complexos.

Já deu para perceber, pelo próprio conceito, que a flexibilidade facilita a movimentação do nosso corpo. Mas o que muita gente não sabe é que, com o passar dos anos e o envelhecimento natural, vamos aos poucos perdendo essa capacidade. Além disso, alguns fatores também podem interferir no nível de flexibilidade das pessoas, a exemplo da herança genética e do sedentarismo. No entanto, como a flexibilidade é uma habilidade, todos podem desenvolvê-la, a partir da prática de exercícios regulares orientados, a exemplo do Pilates. Claro que dentro das condições que o corpo de cada indivíduo permite.

Qual a importância da flexibilidade?

Quando a gente fala que a flexibilidade permite uma melhor movimentação do corpo, nos referimos também aos movimentos cotidianos, que precisamos realizar diariamente para cumprir as tarefas domésticas, profissionais e pessoais. Por exemplo, subir uma escada, levantar da cadeira, pentear o cabelo, caminhar na rua. A flexibilidade possibilita que você execute cada movimento com o máximo de eficiência e o mínimo de esforço.

Ainda que você hoje se sinta plenamente confortável para realizar essas atividades, lembre-se que o passar dos anos traz uma série de limitações ao nosso corpo. Portanto, trabalhar a flexibilidade em todas as fases da vida é determinante para a garantia de qualidade de vida e de saúde.

A flexibilidade natural do nosso corpo é um processo gradativo, que vai evoluindo do nascimento à adolescência. A partir da fase adulta, no entanto, segundo os estudos científicos, essa habilidade entra em uma curva de queda, especialmente se você não se exercita.

Esse déficit é causado, por exemplo, pela chamada sarcopenia, caracterizada pela perda de massa muscular que ocorre com o envelhecimento. Também pelas limitações do movimento que o avançar da idade traz. Associado a isso, vem a redução da força muscular e, consequentemente, do desempenho físico.

A falta de flexibilidade pode, inclusive, dificultar e até impedir a execução de alguns movimentos. Além disso, pode facilitar o surgimento de vários tipos de lesões musculoesqueléticas, tendíneas e ligamentares, como, por exemplo, distensões, estiramentos, torções articulares, tendinites e até dores na coluna e desvios posturais.

Ou seja, quanto mais flexibilidade, mais autonomia e independência.

Aprenda como desenvolver flexibilidade

Como é possível ganhar flexibilidade?

Não há como questionar a importância da flexibilidade. E a forma mais eficaz para ganhar essa habilidade é inserir na rotina a prática de exercícios, como os de alongamento, pois essa habilidade é passível de ser treinada e adquirida.

Ou seja, tem como reverter a situação de quem possui o corpo com pouca mobilidade. O alongamento, por sua vez é responsável por promover o estiramento das fibras dos músculos. Consequentemente, essas fibras aumentam de comprimento, tornando-se mais flexíveis. Portanto, para conquistar um corpo flexível, é preciso reunir mobilidade e elasticidade muscular.

O Pilates é uma alternativa para quem busca o desenvolvimento e manutenção da flexibilidade.  O método possui um repertório muito rico de exercícios com essa finalidade. A flexibilidade no Pilates é trabalhada de forma dinâmica e funcional, sempre conjugada com o ritmo respiratório, o que ajuda mais no desenvolvimento desta habilidade.

Além disso, essa variedade de movimentos do método possibilita o trabalho de todos os músculos e articulações do corpo. Os movimentos no Pilates são fluidos, coordenados e executados com foco na precisão e na concentração. Assim, o praticante consegue alongar todo o corpo de maneira gradativa, com segurança e qualidade, sempre preservando a correção postural. O ganho de flexibilidade no Pilates, portanto, respeita o ritmo, o potencial e as limitações de cada aluno.

Por fim, com a prática do Pilates, o aluno também poderá usufruir dos outros tantos benefícios que o método proporciona. Só para exemplificar, há ganhos consideráveis com a prática do método em relação à força muscular, equilíbrio, consciência corporal, mobilidade, concentração, coordenação motora, ganho de massa magra e muito mais.

Procure um profissional capacitado e comece já as suas aulas.

, ,
Post anterior
5 motivos para fazer uma formação em Pilates
Próximo post
4 sinais de quem precisa praticar Pilates

Mais Posts:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Menu

Pin It on Pinterest

Share This