Não existe uma fórmula única de se montar uma aula de Pilates. Mas deve existir uma lógica e uma construção de movimento, progressiva, para o corpo ir aquecendo e ganhando a mobilidade e elasticidade que precisa. Cada escola tem uma metodologia e cada profissional vai desenvolver a sua própria metodologia e forma de ensino, de acordo com as bases do método e sua filosofia . O importante é que o seu modo de conduzir a aula seja seguro, funcione bem, desenvolva a fluência para cada movimento e entre os mesmos, e construa gradativamente as habilidades que o aluno vai precisar na sua vida, nas atividades que pratica, sempre levando em conta suas necessidades e possibilidades.

Apesar da inexistência dessa receita pronta, existem algumas estratégias que podem ser adotadas, a fim de otimizar sua aula e melhorar seus resultados. Justamente pensando nessa questão, resolvemos reunir aqui algumas dicas para montar uma aula de Pilates produtiva e funcional.

Analise o perfil de seu aluno

Não são apenas os interesses e demandas que mudam de aluno para aluno. Eles também possuem características específicas e uma forma própria de se comunicar. Assim, faça uma avaliação inicial e observe seu aluno, entenda seus interesses e objetivos, investigue as atividades que executa no seu dia a dia, perceba como funciona melhor a sua abordagem com ele e invista no tratamento personalizado.

Quanto mais bem cuidado seu aluno se sentir, mais chances você terá de construir uma relação fiel com ele. E fidelizar o cliente é fundamental para que vocês consigam juntos atingir os objetivos do próprio aluno, que só a prática regular será capaz de oferecer, além de manter a saúde financeira de seu studio de Pilates.

Se for possível, monte turmas com perfis de alunos similares

Se você consegue reunir alunos com perfis parecidos nas suas turmas, isso vai facilitar bastante o seu trabalho durante as aulas. Para estruturar sua aula, é necessário traçar o objetivo principal, com base no cliente. Se você tem uma turma com essa congruência, todo o planejamento será facilitado.

Mas claro que isso não é essencial. Mesmo que suas turmas tenham clientes de diferentes nichos e interesses, é super viável dar a atenção a cada um deles sem que seu atendimento fique comprometido. O ideal é que você faça o planejamento da aula com antecedência, para ter um roteiro prévio e conseguir desenvolver a aula com tranquilidade e naturalidade.

Aprenda a montar uma aula de Pilates

Pense sempre no objetivo principal de cada aula

Quando você tem o objetivo bem traçado, você consegue organizar sua aula melhor. Por isso, sempre busque identificar esse objetivo em cada aula. Você pode trabalhar com benefícios específicos, se isso for possível no seu ambiente de trabalho. Por exemplo, pode focar em trabalho de força em um dia, em flexibilidade no outro. E por aí vai. Mas lembre que Pilates sempre trabalha o corpo todo!

De todo modo, mantenha o controle de suas aulas. Faça um calendário ou algo parecido, para que você consiga consultar com agilidade o que foi trabalhado nas últimas aulas e de que forma você pode oferecer novos estímulos aos seus alunos. O Pilates permite que você explore um repertório enorme de exercícios para trabalhar o mesmo objetivo. Aposte nessa variedade.

Acompanhe a evolução de cada aluno

Cada aluno tem metas em mente e cria expectativas em relação aos seus treinos. A partir da avaliação inicial que foi feita, você pode traçar um plano de trabalho. Assim, é imprescindível que você mantenha um controle da evolução de cada um deles. Tenha um caderninho, um tablet ou o que for mais familiar para você sempre acessível durante a aula.

Esse acompanhamento mais próximo vai possibilitar a programação da aula seguinte, a definição do repertório de exercícios. Você conseguirá ter uma visão geral da evolução de seu cliente e oferecer novas ferramentas para que ele siga no processo de evolução.

Além disso, você poderá anotar as dificuldades que ele está apresentando, por exemplo, para trabalhar essas questões em outras aulas. Não hesite em fazer suas anotações, nem sempre dá para confiar na memória.

Defina o treino de cada aluno por aparelho

Uma ideia interessante é fazer a programação de aula de cada aluno com foco em um equipamento específico. Além de evitar que eles dividam aparelhos durante as aulas – o que aumentará o seu trabalho com a higienização –, essa fragmentação deixa seu trabalho mais ágil.

Assim, já pense antecipadamente em que aparelho cada aluno vai ficar naquela aula. Trace a sequência de exercícios que cada um executará, o número de séries e de repetições. É certo que cada um tem seu ritmo próprio, então fique concentrado  na qualidade da  execução e mostre que você está atento a cada um deles.

Faça o controle individual e equilibrado dos treinos de cada aluno

Dicas para montar uma aula de Pilates

Em outras palavras, analise se os treinos de seus alunos estão balanceados, e de acordo com os interesses particulares deles. Se o cliente tem um objetivo mais generalizado, lembre que seus treinos precisam contemplar o trabalho de todos os grupos musculares.

Porém, essa visão ampla de cada aluno você só conseguirá adquirir, se tiver um controle individual. Assim, você poderá programar as aulas semanais dos alunos com mais assertividade. Lembre-se que seus alunos normalmente querem atingir seus objetivos. Então, seu papel é conduzi-los com profissionalismo e empenho nessa caminhada.

Planeje estratégias para rápidas adaptações durante a aula

Ao indicar um exercício, você pode perceber que seu aluno está executando-o muito facilmente ou apresentando alto grau de dificuldade. Isso é perfeitamente normal. Tenha em mente que essas adaptações durante a aula são necessárias e podem ocorrer com regularidade. Ao montar uma aula de Pilates você precisa prever essas necessidades e ao mesmo tempo estar aberto a mudanças que podem acontecer durante a aula.

Portanto, ao fazer o planejamento de sua aula, já preveja casos como esses. Já pense em modificações do exercício para dificultá-lo ou facilitá-lo, conforme o aluno. Tenha em mente que seu aluno precisa ser desafiado, mas precisa percorrer um trajeto até alcançar níveis mais avançados. É seu papel tornar essa jornada viável e gostosa.

Fique atento à forma como se comunica nas aulas

Cuidado com as palavras e expressões que podem vir a desestimular seus alunos. Evite as expressões que expressam negações. Prefira dizer que um exercício é desafiador a dizer que é difícil. Evite dizer que vai modificar o exercício, porque ele não consegue executar daquela forma. Que tal usar um: “Vamos experimentar um movimento diferente”.

A comunicação com seus alunos precisa ser assertiva, mas direcionada. Fale com clareza, com objetividade, no entanto, utilize expressões motivacionais e incentivadoras. Invista no aperfeiçoamento de seus comandos verbais, usando mais imagens e torne sua aula simples de compreender.

Não se preocupe. O tempo e a experiência tornarão tudo mais simples

Com o passar do tempo, você vai acumulando experiência e vai conseguir desenvolver as suas próprias estratégias de como montar uma aula de Pilates produtiva. O que realmente importa, para que isso aconteça, é que você sempre observe seus alunos, invista em um programa de qualificação profissional contínua e se aprofunde nos temas de maior interesse. Não esqueça de reservar tempo e capital para investir sempre em educação continuada.

Aos poucos, você vai construindo e reconstruindo seu  formato, ou estilo de aula, atentando para possibilidades, experimentando caminhos com a boa base de estudos que fez, até chegar ao planejamento ideal. No final, tudo vai dar certo! Pode confiar.

, , ,
Post anterior
3 exercícios desafiadores de mat Pilates? Clique e conheça!
Próximo post
Atividade física para sedentário? Invista no Pilates

Mais Posts:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

Menu

Pin It on Pinterest

Share This