Pilates para além das aulas

Pilates para além das aulas
Por Henrique Chierighini
“A aptidão física é o primeiro requisito da felicidade. Nossa interpretação da aptidão física é a obtenção e manutenção de um corpo uniformemente desenvolvido com uma mente sã plenamente capaz de, natural e facilmente, realizar satisfatoriamente as nossas muitas e variadas tarefas diárias com entusiasmo espontâneo e prazeroso.” – Joseph Pilates

Joseph Pilates criou uma diversidade de exercícios que, por si só, já são uma meta a almejar. Ao realizar um movimento com destreza e precisão nas aulas de Pilates, o “impossível” cede lugar a uma agradável sensação de vitória. Além dessa sensação, o conteúdo da aula ainda deverá permanecer na prática das atividades diárias mais comuns do aluno, a fim de melhorar a sua performance durante a execução dos movimentos mais triviais.

Este objetivo vale para qualquer perfil de aluno, desde aquele que quer conseguir assistir a uma sessão de cinema sem dor até aquele que deseja aperfeiçoar o seu desempenho como atleta. Portanto, a prioridade para direcionar um exercício específico com um objetivo definido é conhecer as atividades desempenhadas pelo aluno em seu cotidiano. Assim, é importante considerar, inclusive, as suas atividades de lazer. Aqui, a relação de comprometimento entre professor e aluno é fundamental.

Pilates deve mostrar funcionalidade para além das aulas

Se o aluno trabalha a maior parte do tempo sentado, por exemplo, devemos inserir movimentos compensatórios e aprimorar a sua consciência corporal. Especialmente em relação à posição sentada, para que a aula de Pilates traga algo de funcional para o seu dia a dia. Assim, a atividade será ainda mais prazerosa e motivante. Dessa maneira, é notório que as aulas fazem muito mais sentido, se aluno e professor estejam comprometidos com o objetivo final. Nesse sentido, ambos estarão alinhados em relação à dedicação e esforço para obter os resultados almejados. Daí a importância de conhecer a rotina do aluno.

Para que os exercícios tenham aplicação no no dia a dia e comecem a ser mais automáticos em consequência da ampliação da consciência corporal, é interessante estabelecer uma meta a curto e a longo prazo. Assim, o aluno poderá acompanhar a sua evolução e, dessa maneira, estabelecer novas metas. É importante lembrar que objetivos ligados à estética corporal também serão atingidos. No entanto, é recomendável que se defina uma meta que realmente cause a sensação de superação. Pois assim, o aluno ficará comprometido com sua evolução e combinará fatores como boa nutrição, descanso, lazer, entre outros. E, certamente, os resultados serão satisfatórios.

O praticante de Pilates, portanto, ao longo do seu processo de evolução, irá sentir que novos caminhos vão sendo criados. O Pilates – para além das aulas – irá regular suas ações perante os desafios diários, prevenindo lesões e trazendo uma notável melhora em sua qualidade de vida.

+Q Pilates, Atividade Fisica, bem-estar, consciência corporal, Equilíbrio, mais que pilates, Movimento, qualidade, Revista Mais Que Pilates, Revista Online, Saúde
Post anterior
Como escolho me aperfeiçoar no Método Pilates?
Próximo post
Perfis dos alunos no Pilates. Qual o seu?

Mais Posts:

fisioterapia e pilates

Onde o Pilates e a Fisioterapia se Encontram

Estudos, Pilates
Entrevista com o Dr. Brent Anderson, da Polestar PilatesPor Marguerite Ogle Geralmente, quando pensamos em reabilitação física, pensamos em fisioterapia. No entanto, com o excepcional ganho de popularidade do Pilates…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Pin It on Pinterest

Share This