Pilates na prevenção e tratamento da osteoporose

Pilates para prevenção e tratamento da osteoporose

A osteoporose é uma condição que causa fragilidade nos ossos, deixando-os mais fracos e vulneráveis. Em outras palavras, é identificada uma redução progressiva na densidade óssea do indivíduo. Ou seja, ele vai perdendo significativa massa óssea com o passar dos anos. Ao mesmo tempo, cresce proporcionalmente o risco de ocorrência de fraturas. Nesse artigo, mostraremos como o Pilates auxilia no tratamento da osteoporose e também na prevenção da doença.

Reconhecida como um importante problema de saúde pública, a osteoporose é normalmente uma doença silenciosa. Mas o seu alcance é alarmante, pois atinge mais de 10 milhões de pessoas em todo o Brasil, de acordo com os dados da Associação Brasileira de Avaliação Óssea e Osteometabolismo (ABRASSO). Desse total, a doença causa fraturas em 14% dos pacientes, normalmente em regiões delicadas, como costela, quadril e colo do fêmur, apesar de que elas podem ocorrer em qualquer osso.

Como funciona o ciclo dos ossos

Os ossos são formados por células, especialmente os osteoclastos e os osteoblastos. As primeiras ajudam na absorção de minerais, como o cálcio. Além disso, elas eliminam áreas de tecido ósseo, criando cavidades. Daí que entram os osteoblastos, que utilizam o cálcio para preencher as cavidades e criar novos ossos. Essas células são, portanto, responsáveis pelo processo de renovação dos ossos. Vale lembrar que é a vitamina D que ajuda na absorção adequada do cálcio.

Assim, os ossos sofrem processos de degeneração e regeneração ao longo do tempo. E, mais ou menos, a cada três meses, há uma renovação óssea de cerca de 10% do esqueleto, a depender da idade da pessoa.

Tratamento da osteoporose com Pilates

Osteoporose e degeneração óssea

Quando as células ósseas entram em desequilíbrio, acontece a osteopenia. Essa é considerada a primeira fase da degeneração dos ossos. Ou seja, as células que degradam os ossos começam a fazer isso com mais rapidez, porém as células regenerativas não conseguem acompanhar esse ritmo. Resumindo, o desgaste passa a ser maior e mais rápido que a recuperação.

As mulheres estão mais suscetíveis a esse desequilíbrio nas células ósseas, especialmente a partir dos 35 anos, quando começam a surgir alterações hormonais. Com a baixa do estrogênio no organismo da mulher, o corpo começa a ter dificuldade em fixar o cálcio nos ossos, pois essa é uma importante função desse hormônio.

Com relação aos homens, a atuação dos hormônios é bem diferente. A testosterona mantém os ossos fortes, evitando que sofram desgastes. E como a produção desse hormônio vai decaindo de forma gradativa no corpo masculino, os homens normalmente só iniciam esse processo de desgaste por volta dos 40 anos.

Esse tipo causado pelas baixas hormonais naturais do organismo humano é a chamado osteoporose primária. Ela acontece comumente entre as mulheres na pós-menopausa. Há ainda o tipo secundário, que deriva de outros fatores, como doença renal crônica, hiperparatireoidismo, hipertireoidismo, níveis elevados de prolactina, diabetes mellitus e alguns tipos de câncer, como o mieloma múltiplo.

Sintomas que devem alertar para a necessidade de tratamento da osteoporose

Como já mencionamos acima, a osteoporose é uma doença silenciosa. Não existem sintomas muito claros no início do problema, que apontem para a necessidade imediata de tratamento da osteoporose. Normalmente, o diagnóstico da doença acontece em estágios mais avançados, quando surgem dores crônicas decorrentes das deformidades causadas nos ossos, ou ainda quando surge a temida fratura.

Por sua vez, o diagnóstico é feito por um exame conhecido por densitometria óssea, com emissão dupla de raios-X, mas com dosagem baixa de radiação. O exame é simples, não invasivo, mas poderoso para o diagnóstico da osteoporose, pois permite medir a massa óssea na coluna lombar e no fêmur, por exemplo, e comparar os resultados com os valores referenciais. A partir daí é possível identificar se o paciente está normal, com osteopenia ou já com osteoporose.

Apesar de não haver sintomas, há alguns fatores, no entanto, considerados indicativos do risco de o indivíduo desenvolver a doença. Dentre eles, há a predisposição genética, o sedentarismo, a falta de sol, a dieta com deficiência em cálcio, excesso de consumo de álcool, tabagismo e o próprio envelhecimento.Ação do Pilate no tratamento da osteoporose

Indicação do Pilates para prevenção e tratamento da osteoporose

Mas de que forma o Pilates pode contribuir para amenizar e prevenir o problema? É o que responderemos a partir de agora. O Pilates é um exercício físico bastante rico, que promove melhoras significativas na qualidade de vida das pessoas. O método é indicado para todos os públicos, de crianças a idosos, passando pelos públicos especiais, gestantes, atletas, portadores de necessidades especiais e até pacientes neurológicos.

Seja para prevenção de lesões, condicionamento físico, reabilitação ou qualquer outro objetivo, o Pilates oferece soluções eficientes.

As medidas de prevenção da osteoporose devem incluir uma alimentação balanceada e rica em cálcio e Vitamina D. Evitar bebidas alcoólicas e cigarros em excesso também ajudam. Além disso, a prática de atividade física é fundamental, pois contribui com o ciclo de renovação óssea.

Pilates apresenta inúmeros benefícios tanto na prevenção quanto no tratamento da osteoporose. Em linhas gerais, o método contribui para manter o alinhamento corporal e a correção da postura, reduzindo o risco de compressão dos ossos da coluna e possíveis fraturas e dores. Além disso, fortalece a musculatura e estimula os tecidos corporais, incluindo os ossos.

prática do Pilates atua diretamente na melhora da postura, do equilíbrio, da capacidade muscular e, consequentemente, ajuda inclusive a reduzir o índice de quedas e fraturas. Por isso o Pilates se mostra bastante eficaz tanto como uma forma de prevenção quanto como método auxiliar de tratamento da osteoporose.

O Pilates é uma atividade física que oferece excelente estímulo ao desenvolvimento muscular, ótima sobrecarga no osso, mas, ao mesmo tempo, preserva as articulações. Assim, a prática do Pilates acaba melhorando a formação óssea em geral.

E para quem já está com quadro de osteoporose…

Os exercícios físicos passam a ser obrigatórios aos portadores da osteoporose, porque agem diretamente em duas vertentes: ameniza a perda óssea e reduz o risco das quedas.

Uma simples queda pode causar lesões muito graves em portadores de osteoporose. Porém, é importante ficar atento para o tipo de exercício a ser praticado, pois o alto impacto pode causar um dano excessivo a um osso já enfraquecido. Nesse cenário, o Pilates ganha imenso destaque.

Ademais, o Pilates vai agregar em diversas outras funções para o corpo humano, como equilíbrio, coordenação motora, concentração, consciência corporal. Além de cuidar do corpo, o método ainda cuida da mente

Mas atenção! É fundamental buscar um profissional de Pilates que seja realmente qualificado, para que seja possível usufruir dos seus benefícios. A Polestar Pilates oferece cursos de Pilates aplicado a esta patologia, com informações preciosas e atualizadas no que existe de estudos científicos nesta área.

#maisquepilates, +Q Pilates, Physio Pilates, Revista Mais Que Pilates, Tratamento da Osteoporose
Post anterior
Pilates na prevenção e tratamento da LER ou DORT
Próximo post
Marketing de Relacionamento para Studio de Pilates

Mais Posts:

Perda de olfato é sinal de perigo

Pilates
A dificuldade em distinguir os aromas do ambiente é mais comum após a sexta década de vida e pode anunciar doenças graves Sentir um perfume ou o cheirinho do seu…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Pin It on Pinterest

Share This