Pilates como tratamento para incontinência urinária

Conheça tratamento para incontinência urinária

A incontinência urinária é definida como qualquer tipo de perda de urina de forma involuntária em indivíduos com idade a partir de 5 anos. O problema atinge um número significativo da população mundial, causando transtornos diversos e interferindo fortemente, de forma negativa, na qualidade de vida das pessoas. Neste artigo, vamos falar de que forma o Pilates pode auxiliar no tratamento para incontinência urinária.

Para dar uma noção da dimensão do problema, dados da Sociedade Brasileira de Urologia indicam que o problema atinge cerca de 40% das mulheres após a menopausa e 15% dos homens, ambos os públicos, especialmente a partir dos 40 anos. Mas o problema pode ocorrer em qualquer fase da vida, sendo mais comum entre as mulheres.

A incontinência urinária pode ser causada por diversos motivos. Os mais recorrentes dizem respeito à perda de força e tônus na musculatura da região pélvica e ainda à chamada hiperatividade da bexiga. A depender do motivo, existem três tipos: incontinência de esforço, de urgência ou mista. Por isso é tão importante buscar alternativas de tratamento para a incontinência urinária.

Tipos de incontinência urinária

Existem alguns tipos distintos de incontinência urinária, com características específicas.

Incontinência de urgência

É quando existe aquela necessidade inadiável e urgente de urinar. A partir daí, a pessoa não consegue segurar a urina. Ou seja, esse tipo de incontinência é causada justamente pela falta de capacidade de conter a urina. Nesse caso específico, os movimentos musculares que ajudam a expelir a urina ocorrem de maneira involuntária.

Incontinência de esforço

A incontinência de esforço é identificada quando a perda da urina ocorre a partir de um esforço ou estímulo qualquer realizado pelo indivíduo, ainda que seja associado a uma atividade comum. Por exemplo, uma tosse, espirro, atividade física etc. Nesse caso, existe uma pressão no abdômen, a partir de uma ação do indivíduo, atingindo a bexiga.

A incontinência de esforço está ligada normalmente a um enfraquecimento muscular ou do esfíncter uretral. Assim, eles perdem a capacidade de comprimir a uretra, impedindo as perdas urinárias espontâneas. A causa associada a esse tipo de incontinência é justamente o enfraquecimento da musculatura que envolve a região, ou, ainda, problemas em tecidos, como ligamentos e tendões.

No caso dos homens, a incontinência de esforço também pode resultar de cirurgias que acabam lesionando o esfíncter, a exemplo da de próstata. Esse tipo de incontinência também tem ligação com o envelhecimento e consequente perda de força muscular.

Incontinência mista

É a junção dos dois tipos acima descritos. Ou seja, o indivíduo apresenta tanto a incontinência de urgência quanto a de esforço.

Como diagnosticar a incontinência urinária

O diagnóstico de incontinência urinária deve ser feito por um profissional da área de saúde especializado na área. Além da anamnese já comum, que identifica nas respostas do paciente sintomas que indiquem a existência do problema, também são solicitados exames.

Dentre esses exames, há exames de imagem e também sumário e cultura de urina, para avaliação do trato urinário e até exclusão de alguma eventual infecção urinária. O diário miccional também ajuda bastante, que é o acompanhamento de todo o processo urinário do paciente por cerca de 3 a 5 dias. Assim, o paciente anota horários, quantidade, frequência, ingestão de líquidos etc.

Um exame comumente utilizado nesses casos é o de urodinâmica, que faz um estudo sobre o percurso da urina, desde seu armazenamento, até o transporte e esvaziamento da bexiga. Por meio desse exame, é possível analisar todo o funcionamento da bexiga do paciente e, por consequência, as questões relativas à urina.

Principais causas associadas à incontinência urinária

São diversos fatores que podem levar à incontinência urinária. Entre as mulheres, os partos e a menopausa são causas comuns. Além disso, outros fatores podem causar o problema, a exemplo de obesidade, infecções urinárias, doenças neurológicas, tumores, comprometimento da musculatura do assoalho pélvico e/ou dos esfíncteres, aumento da próstata nos homens, doenças que comprimem a bexiga etc.

Pilates como tratamento para incontinência urinária

Como prevenir a incontinência urinária

Sim, é verdade que a adoção de alguns hábitos saudáveis pode contribuir para a prevenção e até tratamento da incontinência urinária. Inicialmente, é importante dar atenção à ingestão de líquido, conforme a indicação para a idade e condição do indivíduo. Urinar periodicamente também é superimportante.

Há outros indicadores de saúde que podem também interferir no aparecimento da incontinência urinária, como o hábito de fumar, excesso de peso, diabetes e hipertensão arterial.

Existem também exercícios físicos e fisioterapêuticos que são próprios para prevenir a incontinência urinária. Outros métodos estão relacionados a estimulação elétrica, toxina botulínica, medicamentos e cones vaginais. Alguns casos, no entanto, só conseguem melhoria por meio de cirurgia.

Tratamento da incontinência urinária

A perda da urina produz consequências negativas significativas na rotina de vida do paciente. No caso das mulheres, por exemplo, que são as maiores afetadas pelo problema, o uso frequente de absorventes especiais causa danos à pele. O contato direto da pele com a urina pode causar até lesões.

O impacto psicológico do problema é bem forte. A preocupação em passar por situações de constrangimento em público, em razão da perda descontrolada da urina, acaba fazendo com as pessoas se afastem de amigos e parentes. Muitas acabam, inclusive, se isolando, o que pode causar, por exemplo, problemas de saúde mental, como a depressão.

Associado a esses fatores está a demora em buscar o tratamento adequado, muitas vezes por vergonha. Porém, o enfraquecimento de toda a região do assoalho pélvico é uma causa frequente e facilmente tratável da incontinência urinária. Essa área reúne o conjunto de ligamentos e músculos responsáveis pela sustentação da bexiga, reto, útero e demais órgãos associados.

Pilates ajuda no tratamento para incontinência urinária

Como o Pilates pode ajudar no tratamento da incontinência urinária

O Pilates é um método que atua de forma eficiente no fortalecimento muscular, trabalhando toda musculatura de sustentação do assoalho pélvico, quando aplicado da forma adequada . Mas atenção!! É preciso ter cuidado com o excesso de ativação do famoso  power house, pois isso pode provocar pressão excessiva no assoalho pélvico e provocar incontinência urinária em pessoas jovens e saudáveis.

Essa foi a conclusão do estudo realizado por Brent Anderson com instrutores de Pilates de linhas mais tradicionais, com amostras significativas. É necessário conduzir adequadamente a ativação, e na dose certa, dos músculos que estabilizam a coluna e sustentam os órgãos internos e a postura. Assim, estão incluídas aí toda a musculatura abdominal, das costas, das pernas e do assoalho pélvico.

Os exercícios do Pilates, portanto, podem atuar exatamente com esse propósito de fortalecimento muscular, proporcionando consciência corporal, força, resistência e controle. Assim, o Pilates será uma ferramenta muito boa tanto para a prevenção da incontinência urinária quanto na fase de tratamento. A prática regular da atividade, inclusive, contribui também para devolver a autoestima e confiança do paciente, que vai percebendo as melhoras gradativas.

Claro que é fundamental conhecer a causa da incontinência urinária, já que o tratamento vai depender da origem do problema. Isso porque, em alguns casos, apenas uma intervenção cirúrgica pode resolver. Porém, vale ressaltar que o Pilates também atua como método preventivo, então, é importante praticá-lo de qualquer forma.

Mas vale lembrar que o profissional de Pilates precisa ter habilitação para dar aulas e ensinar os exercícios.

, , , , , ,
Post anterior
10 benefícios do Pilates na terceira idade
Próximo post
8 dicas de como montar uma aula de Pilates perfeita

Mais Posts:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Menu

Pin It on Pinterest

Share This