4 dicas para abrir seu estúdio de Pilates

Como abrir seu Studio de Pilates

Pode parecer difícil reconhecer-se como homem ou mulher de negócios, mas esse é um adicional que vem agregado ao currículo de quem decide empreender no mundo do Pilates. Como bailarino, fisioterapeuta ou educador físico, você investiu fortemente em sua formação para tornar-se um profissional especializado no método, mas, ao decidir abrir um estúdio, você assumirá novos desafios que requerem uma preparação para este novo papel: o de empresário. Nesse artigo, vamos dar quatro dicas para abrir seu estúdio de Pilates.

A maior parte dos proprietários de estúdios de Pilates no Brasil é formada por instrutores ou ex-instrutores do método que decidiram dar um passo além nessa empreitada. No início, administrar o estúdio e continuar a dar aulas é quase que uma necessidade do negócio para manter seu custo fixo mais baixo, mas depois de um tempo, quando a empresa começa a crescer, o desafio aumenta, tornando-se quase impossível administrar eficientemente o negócio enquanto mantêm a qualidade das aulas. Nesse contexto, é sempre bom dar atenção especial a algumas dicas para abrir seu estúdio de Pilates e já começar bem essa empreitada.

“O Pilates tem um mercado bastante peculiar, feito de pessoas para pessoas, que exige bastante atenção ao cliente, uma estratégia de marketing específica, ambiente requintado, ao mesmo tempo em que necessita de um custo fixo baixo. Equilibrar as peculiaridades deste negócio é uma ginástica diária que tem que ser controlada na ponta do lápis, desde a abertura até quando a empresa torna-se estável”, afirma o especialista em gestão de estúdios de Pilates, Guilherme Maluly.

Busca por formação

Um reflexo disso é o crescente número de pessoas que buscam formação na área empresarial para entender melhor este mercado e ter êxito na administração de seus negócios. Com foco em apoiar o crescimento saudável dos estúdios, Guilherme Maluly desenvolveu o Workshop “Business Pilates”, que tem como público-alvo profissionais que querem empreender na área ou que já atuam no ramo, mas querem melhorar a gestão para o negócio crescer. “Muitos profissionais não sabem o que é um Business Plan (ou plano de negócios, em português), como funciona uma consultoria, como analisar o fluxo de caixa de seus estúdios… esse workshop nasceu a partir da ideia de ajudar esses empreendedores a entenderem a importância de ter uma gestão administrativa correta, mostrar como esta nova conduta faz com que a empresa ganhe robustez e traga melhores resultados”, explica.

Guilherme afirma ainda que as dúvidas mais comuns de quem vai abrir um negócio nesta área estão relacionadas a pontos cruciais de gestão. “Como a maioria dos donos de estúdios de Pilates são fisioterapeutas, bailarinos e educadores físicos, não conhecem princípios básicos de uma boa gestão empresarial. Assim, temem acabar com déficit financeiro ao final do mês. Eles me procuram para saber sobre qual a preparação que deve ser feita e os pontos de observação para abrir uma nova empresa. Por exemplo, como gerenciar o fluxo de caixa e até mesmo as vantagens e desvantagens da terceirização de funcionários ou a contratação direta”, pontua.

1 – PLANEJE O SEU NEGÓCIO

À primeira vista, a elaboração de um plano de negócios pode não parecer necessária para o seu estúdio. Porém,  a verdade é que esta ferramenta pode ser crucial para o sucesso. Tirar as suas ideias da cabeça e colocá-las no papel não será uma tarefa fácil: o planejamento exige tempo, dedicação, pesquisa e flexibilidade para perceber que nem sempre aquilo que se tem em mente sairá, na prática, como foi imaginado. Mas lembre-se que é melhor errar no papel, quando enquanto está planejando a sua trajetória, do que errar no mercado com os seus clientes.

Assim, a primeira das dicas para abrir seu estúdio de Pilates é a elaboração do plano de negócios. Deve ser o primeiro passo na hora de abrir o seu estúdio. Ele servirá como um mapa que aponta quais caminhos você deverá seguir para chegar até os seus objetivos empresariais. Com essa ferramenta, você entenderá o que é o seu negócio, organizará ideias e informações relacionadas a ele. ALém disso, identificará quais os diferenciais do seu serviço face aos concorrentes e os benefícios que você oferecerá aos seus clientes. Ou seja: o business plan será um espelho dos pontos fortes e fracos do negócio, ajudará na percepção da viabilidade da sua ideia e de como deverá ser feita a gestão do seu negócio.

Mas não se assuste: a elaboração deste documento pode ser mais simples do que parece! Você pode contar com o apoio de softwares gratuitos, organizações especializadas (como Sebrae ou Endeavor), cursos online e ferramentas de planejamento bem simples como o Business Model Canvas – que te ajudará a ter uma visão geral do seu negócio com o apoio de uma folha de papel, canetas e post-its.

2 – MONEY, MONEY, MONEY

-Quanto vale o meu serviço?

-Qual será a minha taxa de lucratividade? E o meu capital de giro?

-Devo ter um salário ou pró-labore?

Essas e muitas outras perguntas surgirão na hora de tomar decisões referentes à gestão financeira do seu estúdio e você precisa estar preparado para respondê-las. Antes de assinar contratos de locação de espaço ou buscar um designer para criar sua marca, você deverá familiarizar-se com regras monetárias, enquadramentos tributários e estar preparado para negociar com bancos e fornecedores. Descubra o que você precisa para iniciar o seu negócio e dar continuidade a ele. Planeje seu orçamento e defina como você irá controlar os gastos do seu estúdio. Coloque na ponta do lápis quanto de dinheiro você tem para começar o seu negócio, quais serão as suas reservas. Também estime quanto precisará gerar para pagar as contas da empresa e quanto destinará para suas despesas pessoais.

Uma dica importante é contar com o apoio de um contador e um advogado que poderão te ajudar a decidir, com embasamento jurídico e segurança, como manter as contas em dia, além de reduzir as incertezas e riscos relacionados à administração do seu estúdio.

3 – ACREDITAR É INVESTIR!

Pode parecer contraditório, afinal, no tópico anterior, abordamos a importância de agir de forma prudente em relação aos gastos da sua empresa, mas isso não quer dizer que você não deve investir em seu negócio: na verdade, essa é uma parte crucial da equação. Como diz o velho ditado: “dinheiro atrai dinheiro”. Porém, desde que você faça investimentos de forma saudável e planejada, sabendo que o capital retornará em breve.

Apostar em seu negócio e investir de volta parte do lucro fará com que seu estúdio continue a crescer. No início, é natural que você se sinta inseguro e fique preocupado com os gastos, como a folha de pagamento da sua equipe. Pode parecer assustador gastar ainda mais, porém investir em marketing, capacitação e novidades faz sua receita multiplicar em um futuro próximo. Considere adquirir novos equipamentos e acessórios lançados no mercado. Além disso, ofereça aulas dinâmicas aos seus clientes, organize treinamentos para sua equipe ou inclua exercícios para diferentes públicos no programa de aulas. Invista, inove, cresça.

É importante reforçar que esses investimentos precisam ser realizados se os indicativos de saúde financeira do seu estúdio estiverem positivos. Caso contrário, você deverá rever seu plano de negócios para entender o que não está indo tão bem. Assim, conseguirá ajustar esses pontos prioritariamente para retomar sua rota de sucesso.

4 – REAVALIE A SUA ROTA

De tempos em tempos, tire um tempo para avaliar se o seu negócio está seguindo na direção certa. Você pode contratar pontualmente uma consultoria administrativa, financeira e estratégica. Ela analisará o seu estúdio e apontará inovações e ideias que poderão acelerar o processo de crescimento de sua empresa e ajudar a reduzir custos.

Outra opção é estar atento ao mercado e buscar soluções para fazer a sua empresa crescer. Esteja de olho nos concorrentes e participe de eventos não só da área de Pilates. Podem ser de empreendedorismo, criatividade, finanças e negócios. Há feiras e congressos que apontam novas tendências de mercado e trazem as novidades que poderão incrementar o seu estúdio. Além disso, faça troca com outros profissionais da área, afinal vocês estão todos no mesmo barco. Aproveite os bate-papos e rodas de conversa para “sentir o mercado”, tirar dúvidas, compartilhar ideias e apurar o que está acontecendo fora do seu estúdio.

Ao decidir empreender no mundo do Pilates, a sua caminhada será longa e desafiadora, mas como acreditava Joseph Pilates: “Paciência e persistência são qualidades vitais na realização final bem-sucedida de qualquer esforço que valha a pena.” Então acredite no seu sonho e aposte no seu talento!

Se você gostou deste post e de nossas dicas para abrir seu estúdio de Pilates não esqueça de comentar abaixo e deixar a sua opinião!

, ,
Post anterior
Exercício para grávidas: extensão, com Marla Lopes
Próximo post
Problemas posturais na infância e na adolescência

Mais Posts:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

Menu

Pin It on Pinterest

Share This