Como montar aula experimental de Pilates perfeita

Saiba como montar a aula experimental de Pilates

Montar a aula experimental de Pilates é importante, porque é um verdadeiro chamariz do trabalho do profissional. Se você oferece esse tipo de serviço, você amplia as possibilidades de ganhar novos alunos.

Com a aula experimental, é possível conversar com o aluno, identificar as principais necessidades e expectativas e mostrar um pouco do seu trabalho na prática. Tudo isso sem que o aluno tenha custos. Ah, e aproveite a oportunidade nessa conversa para falar dos benefícios do Pilates que ele não conhece.

Se você oferece uma boa aula experimental, a tendência é que você crie um laço de confiança com o aluno. Caso essa aula atenda às suas expectativas, a chance de ele se tornar aluno é bem grande. Mas para que isso aconteça, é importante que você planeje suas aulas experimentais. Não tente fazer algo genérico e desconectado da demanda de seu potencial cliente.

Para que você possa montar a aula experimental de Pilates perfeita, vamos dar algumas dicas aqui. Basta seguir nossas orientações, adaptar à sua realidade e comemorar a conquista dos novos clientes. Vamos lá.

Dicas para montar a aula experimental de Pilates

1. Converse com o aluno antes de agendar a aula. Fazer uma boa anamnese vai ajudar a montar a aula experimental de Pilates

O diálogo inicial com o aluno é a ferramenta capaz de te ajudar a identificar quais objetivos ele almeja e quais expectativas ele alimenta em relação ao Pilates. Portanto, faça as perguntas necessárias, até que você consiga ter respostas claras.

Procure saber do aluno o que o fez procurar o Pilates, o que ele pretende com o método, se ele possui algum problema de saúde, alguma lesão em tratamento e questões afins. Você pode montar um questionário prévio, para que possa usar com todos os potenciais clientes.

A propósito, não restrinja as perguntas a objetivos, lembre-se de incluir questões relativas a problemas de saúde, limitações de movimento etc. A partir dessas respostas, agende um horário e planeje a aula experimental daquele aluno, a fim de que atenda aos principais pontos da conversa entre vocês.

2. Faça aulas experimentais individualizadas

A aula experimental deve ser oferecida com foco na demanda de cada aluno. Não basta fazer um treino genérico, para agilizar a sua vida e reduzir o seu trabalho. Esse tipo de estratégia não dará o resultado esperado, que é converter aquele potencial cliente em aluno.

O Pilates é uma atividade individualizada, portanto, demonstre isso já na aula experimental. Explique isso ao aluno, esclareça o porquê de fazer um questionário inicial. Ou seja, demonstre segurança, preocupação e interesse no caso dele.

No primeiro contato, você já deve dar os primeiros passos para construir uma relação sólida. Do mesmo modo, na aula experimental, o seu futuro cliente deve sentir que suas observações foram ouvidas e levadas em conta.

Durante a aula, vá pontuando o motivo de passar aqueles exercícios. Faça uma conexão entre os movimentos escolhidos e aquilo que ele pontuou na conversa entre vocês.

3. A aula experimental de Pilates deve ser agendada em um horário adequado

Se o cliente potencial tem horários flexíveis para fazer a aula experimental, analise com atenção qual o melhor para o agendamento. Não esqueça de que é muito importante você dar uma atenção especial ao aluno durante a aula experimental de Pilates. Afinal, você está tentando transformá-lo em cliente.

Portanto, escolha uma turma mais vazia, para incluí-lo, com alunos que já são mais independentes e experientes. Assim, você conseguirá acompanhá-lo mais de perto na execução dos movimentos, orientá-lo com mais detalhes e explicar o que você precisa durante a aula.

Aprenda a montar aula experimental de Pilates

4. Avalie a capacidade física do aluno para montar a aula

Não basta ouvir sobre desejos, metas e expectativas, é preciso avaliar a capacidade física do futuro aluno, a fim de que você monte a sequência de treinos ideal. A aula experimental não deve ser pesada demais, a ponto de o aluno se sentir incapaz de praticar o método. Assim como não deve ser leve demais, para não deixar a sensação de que não dá resultado.

Durante a aula experimental, fique atento para modificar e adaptar os exercícios, a depender da condição física do aluno. Às vezes ele pode te narrar uma percepção sobre seu próprio condicionamento físico, que não se comprove na prática. Portanto, tenha em mente que poderão ser necessárias adaptações emergenciais no decorrer da aula experimental.

5. Divulgue que você oferece aula experimental de Pilates em suas redes sociais, entre seus alunos e onde mais achar conveniente

A divulgação é fundamental. Você precisa fazer chegar aos seus potenciais clientes a informação de que você oferece uma aula experimental de Pilates gratuita. Sim, o ideal é que ela seja gratuita. Assim, coloque essa informação em destaque em suas redes sociais, a exemplo do Instagram. Inclusive, temos um ótimo artigo sobre como divulgar seu estúdio nessa rede social, clique aqui para ler. Além disso, comunique a seus alunos que eles podem levar amigos e familiares para experimentar o método.

Se você tem parceiros, sejam empresas ou outros profissionais, faça com que essa informação esteja acessível a eles, porque eles podem te ajudar a disseminá-la. Também é interessante que conste em seu cartão de visitas que você oferece aula experimental de Pilates. Quanto mais gente souber disso, mais chance de você ampliar sua cartela de clientes. Não poupe na divulgação.

, , , ,
Post anterior
Saiba tudo sobre importância da atividade física na pandemia
Próximo post
Como acelerar resultados dos alunos no Pilates

Mais Posts:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

Menu

Pin It on Pinterest

Share This