Síndrome de Sjögren e Pilates

por Sandra Mara Ribeiro

“Um aliado no combate a inflamação e sintomas clínicos – um relato de caso.” – Tese apresentada na Mentoria com Lolita San Miguel em Outubro de 2017.

Sjögren’s (“SHOW-grins”) a Síndrome de Sjögren (S.S) é uma desordem reumática e doença sistêmica autoimune que afeta todo o corpo, de etiologia idiopática, caracterizada por infiltração linfocítica das glândulas exócrinas, bem como de sistemas e tecidos extraglandulares, cuja incidência prevalece em indivíduos do sexo feminino na faixa etária dos quarenta anos.

Além de sintomas de secura extensa, outras complicações graves incluem fadiga profunda, dor crônica, maior envolvimento de órgãos, neuropatias[1] e linfomas[2] . Embora muitos pacientes tenham olhos secos, boca seca, fadiga e dor nas articulações, Sjögren também causa disfunção de órgãos como rins, sistema gastrointestinal, vasos sanguíneos, pulmões, fígado, pâncreas e sistema nervoso central. Os pacientes também apresentam maior risco de desenvolvimento de linfoma; e é uma doença progressiva capaz de manifestar-se sob as formas primária ou secundária. Sua principal característica é a disfunção glandular, podendo ainda ser acompanhada por acometimentos tanto de ordem musculoesquelética quanto cardiorrespiratória.

O distúrbio glandular pode ocorrer de forma isolada, designando-se Síndrome de Sjögren Primária (S.S.P.) Cerca de metade do tempo Sjögren ocorre sozinho, e a outra metade ocorre na presença de outra doença autoimune do tecido conjuntivo, como artrite reumatóide, lúpus ou esclerodermia ou estar associado a uma variedade de doenças autoimunes sistêmicas como Fibromialgia, Artrite Reumatóide, Lúpus Eritematoso Sistêmico, Polimiosite e Síndrome de Raynaud , sendo denominado de Síndrome de Sjögren Secundária (S.S.S.).

DISCUSSÕES E CONSIDERAÇÕES DO CASO

Meu nome é Sandra Mara Ribeiro, eu nasci em agosto de 1974, em Cascavel/PR, Brasil, sou graduada em Educação Física e trabalho com Pilates desde 2001. Fui diagnosticada com a Síndrome de Sjögren em Janeiro de 2008, exatos 01 ano após os sintomas estarem quase insuportáveis e inúmeros diagnósticos errados serem feitos, bem como uma deficiência e uma certa ignorância por parte dos médicos reumatologistas que me atenderam na época; fui examinada e diagnosticada com a S.S.P por 03 (três) médicos reumatologistas e 01 médico homeopata, os três médicos especialistas me deram um decreto de 03 meses de vida aproximadamente; sem muitas explicações, e nenhum esclarecimento mais aprofundado a respeito desta doença, apenas me diziam que era “parecida” com o Lúpus, ao qual fui diagnosticada erradamente algumas vezes.

Diante do acima exposto achei que deveria seguir com o tratamento homeopático e assim fiz e faço até a presente data.

Neste relato pessoal de caso, o objetivo foi avaliar a eficácia de um programa sistematizado de Pilates no combate a inflamação e sintomas da S.S.P em sua manifestação primária associada a sintomas clínicos e esporádicos quadros de piora e manifestações ocasionais de sintomas mais graves como linfedemas[3] e vasculites[4].

A elaboração dos planos de aula foi baseada em uma avaliação dos sintomas relacionados e também as principais queixas, alternando períodos de dor nas articulações, inchaços em membros inferiores e fadiga.

Este plano de aula foi dividido em 03 (três) etapas, por quadrimestre, ou seja, a cada 04 (quatro) meses o plano de aula foi alterado, o trabalho foi realizado durante o período de 12 meses, 5 vezes por semana, com duração de 30 minutos; totalizando 03 planos de aulas diferentes no período todo.

PILATES SEUS FUNDAMENTOS, PRINCÍPIOS E APLICABILIDADE NA S.S.P

Joseph chamou seu Método de Contrologia, que é a coordenação completa do corpo, da mente e do espírito. Por meio dela você adquire primeiro o controle total do seu próprio corpo e depois, com repetições apropriadas dos exercícios, adquire gradual e progressivamente um ritmo natural e a coordenação associada as atividades do subconsciente.
Em seu livro YOUR HEALTH ele dizia o que é o equilíbrio entre o corpo e a mente:

É o controle consciente de todos os movimentos musculares do corpo. É a correta utilização e aplicação dos princípios mecânicos que abrangem a estrutura do esqueleto, um completo conhecimento do mecanismo do corpo e uma compreensão total dos princípios de equilíbrio e gravidade, como nos movimentos do corpo durante a ação no repouso e no sono. (Pilates, 2010a, p. 43)

E pensando nos princípios de orientação da Contrologia e nas palavras do mestre que dizendo que não é um sistema cansativo de exercícios entediantes, chatos, detestáveis e repetitivos e que podemos obter os benefícios da Contrologia em nossa própria casa.

Em 2016 tomei a decisão de realizar um estudo aprofundado a respeito da prática de Pilates e Sjögren’s, iniciando uma rotina de treinamento sistematizada, logo em seguida, iniciei o Pilates Mentor Program, onde decidi escrever a minha Tese sobre o tema.

RESULTADO

Contrariando a ideia de que pessoas com doenças autoimunes, no meu caso, a síndrome de Sjögren, precisam mesmo é de repouso e tendo em vista que essas doenças afetam a pele, além de órgãos como pulmão e o sistema imunológico, também afetam os sistemas renal e cardiovascular, esse quadro pode causar a diminuição da força muscular e afetar a postura e locomoção do paciente, fato este, que, por muitas vezes me obrigou a utilizar medicamentos como os corticoides, frequentemente usados no controle dessas doenças; muitas vezes as doenças autoimunes provocam o comprometimento das articulações e eu decidi testar os efeitos da prática de exercícios do Método Pilates na evolução do comprometimento reumatológico da doença em mim mesma.

Esse trabalho começou há dois anos e há um ano estou realizando de forma sistemática, a prática diária surpreendeu as minhas expectativas como também do meu médico ao apresentar resultados positivos, como a melhora da condição clínica, sem qualquer tipo de efeito colateral e sem o uso de qualquer medicamento, mantive apenas os suplementos e vitaminas.

Percebi a importância do descanso e da prática dos exercícios na melhora dos sintomas da doença; a importância da alternância das práticas de solo e de máquinas; além de observar como foi importante a prática diária em tempo reduzido, constatei nos 03 primeiros meses a necessidade de praticar todos os dias, a importância e eficácia da diminuição do tempo de duração de cada sessão para uma prática diária; praticando Pilates, 30 minutos por dia, senti a melhora da dor e a melhora da circulação sanguínea do meu corpo, o inchaço frequente desapareceu. O plano de exercício de Pilates, por sua vez, consistiu em planejamento da aula, repetitiva e estruturada com objetivo bem definido; devolver e manter a funcionalidade dos movimentos, das dores articulares e melhoria da qualidade da respiração e do sono e diminuição do uso de medicamentos homeopáticos para dor.

Neste período os exercícios foram eficazes na diminuição da maioria dos sintomas, que desapareceram e outros atenuaram-se, mas sei que para a medicina tradicional não existe cura para a autoimunidade e que medicamentos sejam homeopáticos ou alopáticos além de outros tratamentos ajudam a diminuir o mal-estar e a prevenir a deterioração dos órgãos são necessários para muitas pessoas nas mesma condições que a minha e que mais pesquisas precisam ser realizadas para comprovar a importância e relevância desta prática como mais uma aliada no tratamento de doenças reumatológicas autoimunes e em pacientes com S.S.

[1] Neuropatias: é um termo geral que se refere a doenças ou problemas no funcionamento dos nervos.
[2] Linfomas: é um grupo de tumores de células sanguíneas que se desenvolvem a partir das células linfáticas. Geralmente, o termo refere-se apenas aos tumores cancerosos
[3] Linfedemas: é uma tumefação de algum órgão do corpo, decorrente da perturbação ou obstrução na circulação linfática. Consiste em um acúmulo do fluido linfático no tecido intersticial, o que causa edema, mais frequente em braços e pernas, quando os vasos linfáticos estão prejudicados.
[4] Vasculites: são doenças causadas por inflamação dos vasos sanguíneos do organismo. Nestas doenças, a parede dos vasos sanguíneos é invadida por células do sistema imunológico, o que pode provocar estenose (estreitamento), oclusão (fechamento), formação de aneurismas e/ou hemorragias.

Este trabalho aqui resumido, foi apresentado como tese final de conclusão da Mentoria com Lolita San Miguel, o Pilates Master Mentor Program, na Flórida em Outubro de 2017. O Conteúdo na íntegra poderá ser disponibilizado via e-mail para quem se interessar, Gratidão. Sandra Ribeiro, e-mail: sandramararibeiro@gmail.com

 

, , , , , , , , , ,
Post anterior
Como ajudar os pacientes com dores nas costas no ambiente do Pilates: uma visão científica.
Próximo post
Bridge com Centopéia por Alice Becker

Mais Posts:

6 Comentários. Deixe novo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Menu

Pin It on Pinterest

Share This