Proteínas que baixam a pressão

Cientistas descobrem que alimentos ricos em certos aminoácidos (as moléculas que formam as proteínas) podem ser parceiros das artérias

O achado vem da Universidade East Anglia, no Reino Unido, onde cerca de 2 mil mulheres foram acompanhadas. “Encontramos fortes evidências de que aquelas que consumiam quantidades mais elevadas de sete aminoácidos específicos exibiam menores níveis de pressão arterial e rigidez dos vasos”, conta a professora de nutrição Aeden Cassidy, principal autora da pesquisa. Segundo ela, essas partículas ajudam a liberar óxido nítrico, substância que dilata as artérias, facilitando o fluxo sanguíneo. Outra revelação interessante é que a origem desses aminoácidos parece modular sua atuação no sistema circulatório. Quando eles vêm de vegetais, o resultado é menor pressão nos vasos. Se forem provenientes de animais, deixam as artérias mais flexíveis. Mas e a carne? Apesar de abastecida de proteína, ela sempre é citada como inimiga do peito por causa da gordura. E aí? “O ideal é preferir os cortes magros”, orienta Aeden. Ela ainda lembra que os tais aminoácidos podem vir de outros alimentos.

Onde estão os aminoácidos do bem

Nos vegetais

As sete moléculas estudadas pelos britânicos (arginina, cisteína, ácido glutâmico, glicina, histidina, leucina e tirosina) estão em alimentos como feijão, arroz integral, abacate e amêndoas.

Nos animais

Três desses aminoácidos analisados – ácido glutâmico, leucina e tirosina – também podem ser incorporados à dieta por meio de carne vermelha, pescados e lácteos.

Fonte: www.mdemulher.abril.com.br

,
Post anterior
Pilates e Politrauma: A Evolução das Estratégias de Movimento
Próximo post
Como se destacar em Pilates

Mais Posts:

Interdisciplinaridade na área da Saúde: Osteopatia e Pilates

Interdisciplinaridade na área da Saúde: Osteopatia e Pilates

As ciências da saúde tiveram um “boom” desde o início do século 21 com pesquisas sobre saúde e movimento humano.

Sendo a “Saúde o estado completo de bem estar físico , mental e social e não apenas ausência de doença” (OMS, 1948), poderíamos dizer que esse bem estar estaria mais completo com um ajudinha extra!

É muito comum hoje em dia encontrarmos profissionais de diferentes áreas da saúde interagindo sobre um mesmo cliente.

Ler Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Menu

Pin It on Pinterest

Share This