Pilates e depressão, será que essa combinação está certa?

Pilates e Depressao: Será que essa combinação está certa?

Pilates e depressão, será que essa combinação está certa? Já vamos responder para você ter certeza: sim! O Pilates é um excelente aliado para tratar uma das condições mais comuns do último século. 

Trouxemos algumas informações comprovadas de benefícios do Pilates para estados psicológicos alterados, como a depressão. Confira todas as informações científicas para começar a usar de vez por todas o Método no tratamento. 

Como surge a depressão?

Alguns consideram a depressão como um dos grandes males do século. Ela atinge pessoas de todas as faixas etárias e classes sociais causando sérias consequências. Mesmo crianças e adolescentes podem sofrer da condição. 

Apesar de muitos ainda não compreenderem transtornos psicológicos, a depressão é uma doença física. Os gatilhos para o surgimento da depressão são muitos, podendo incluir experiências traumáticas, como divórcio, morte ou diagnóstico de doenças. 

Não importa o gatilho, a condição causa tristeza extrema, cansaço e sensação de falta de esperança. Indivíduos com depressão perdem a capacidade de seguir sua vida diária, interferindo no trabalho, vida pessoal e momentos de lazer. 

Prevalência de depressão na população brasileira

A depressão é um problema em todo o mundo com mais de 300 milhões de casos reportados, segundo a OMS. No Brasil a situação não é diferente e dezenas de pessoas sofrem com a condição todos os anos. 

A OMS considera o Brasil como o país com mais casos de ansiedade e depressão em toda a América Latina. Os números da condição não param de crescer, nos últimos 10 anos a quantidade de pacientes aumentou em 18,4%. Ou seja, hoje em dia existem mais de 322 milhões de pessoas depressivas no país. 

Falamos bastante sobre a condição e suas características limitantes até agora, mas o que Pilates e depressão tem a ver? É o que você verá ao longo deste artigo! Continue lendo para saber mais!

Como o Pilates e depressão se encaixam

Pilates e depressão combinam muito, especialmente quando o Método é utilizado para o tratamento. Profissionais da área envolvidos com pacientes depressivos sabem: tratar o quadro é desafiador e exige paciência e uma mistura de técnicas. 

Muitas vezes só os medicamentos e aconselhamento profissional não são o suficiente para conseguir melhora significativa. Portanto, combinar tipos de tratamento e atividades físicas pode ser uma excelente ideia. 

Sabemos que o Pilates possui diversos efeitos benéficos para o corpo e mente. É exatamente por isso que conseguimos juntar Pilates e depressão para contribuir com o tratamento, como você pode ver abaixo. 

Alívio de estresse e tensão

Cada sessão de Pilates proporciona alívio do estresse e também libera a tensão muscular. Um estudo publicado na revista Fisioterapia Brasil avaliou os estados emocionais de 11 alunos ao realizar aulas de Pilates. Após as sessões os alunos apresentaram melhora significativa para: 

  • Sentimentos de raiva; 
  • Tensão; 
  • Confusão; 
  • Falta de vigor. 

Os resultados obtidos no estudo foram consistentes no grupo controle de obesos. Outros estudos já mostraram que pessoas fisicamente ativas têm menor probabilidade de sofrerem de distúrbios psicológicos que sedentários. No entanto, ao falarmos do caso específico do Pilates os resultados são ainda mais positivos. 

Tudo isso acontece graças à realização de exercícios que demandam controle e concentração. A conexão “corpo e mente” gerada durante a atividade pode ajudar o paciente depressivo a livrar-se momentaneamente da angústia. No entanto, esses resultados só acontecem com a prática regular. 

Produção de hormônios do bem-estar

Praticar Pilates também estimula a produção de certos hormônios relacionados ao bem-estar. Exercícios de intensidade moderada de longa duração, como uma aula de Pilates de 50 minutos, fazem com que o corpo produza mais endorfinas. 

Esses hormônios proporcionam a sensação de bem-estar e prazer após a atividade física. Para pacientes depressivos isso gera equilíbrio no corpo, controlando a ansiedade, tristeza e medo. 

Recuperação dos movimentos funcionais

Pilates e depressão têm mais uma coisa em comum: a depressão atinge com muita frequência pessoas da terceira idade. Nessa fase da vida existe grande perda de movimentos funcionais e força muscular. Como resultado, alguns idosos se isolam e passam a sofrer do quadro depressivo. 

Praticar Pilates é uma excelente solução para essa faixa etária. Além de proporcionar mais contato social e gerar todos os benefícios que já mencionamos, o Método ainda ajuda a recuperar movimentos. 

Com mais confiança e liberdade, o idoso torna-se mais disposto a receber ajuda profissional e controlar a depressão. Na realidade, o mesmo vale para qualquer faixa etária que tenha perdido movimentos funcionais. 

Percebeu como Pilates e depressão realmente combinam? O Método é excelente para combater a condição. No entanto, é importante lembrar que a depressão é multifatorial. O paciente depressivo precisa da ajuda do instrutor de Pilates e de outros profissionais especializados, como psicólogos e terapeutas. 

, , , ,
Post anterior
Eventos ou Cursos de Pilates: Em qual devo investir?
Próximo post
Quero abrir um studio de Pilates, por onde começar?

Mais Posts:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Menu

Pin It on Pinterest

Share This