Gyrotonic e o Treinamento da musculatura do assoalho pélvico

treinamento da musculatura do assoalho pélvico

Com a entrada de 2020 muito de nós procuramos uma inovação para as nossas vidas! Apresento o Método revolucionário de movimento que ensina o seu corpo a ter funcionamento perfeito e que pode ser um ótimo treinamento para musculatura do assoalho pélvico.

Sou Roberta Quinn, Master Trainer especializada do Método Gyrotonic e fisioterapeuta, e além dos cursos que ministro, recebo no meu studio diversos casos clínicos como dores, lesões, aumento de desempenho, prevenção de lesões, deficit de atenção, e também muitas mulheres com baixo libido, perdendo a alegria de viver.

Então, durante meu estágio na faculdade de fisioterapia queria comprovar que o Gyrotonic é maravilhoso para absolutamente tudo! Mais tive que escolher, escolhi comprovar que o Gyrotonic aumenta libido, já que o método foca na consciência dos músculos pélvicos, centro do equilíbrio físico, mental e energético e aonde todos os movimentos se inciam com a ativação dos mesmos.

Confira agora parte do Artigo publicado na Revista Científica da PUC:

Treinamento da musculatura do assoalho pélvico e percepção de satisfação sexual feminina por meio da técnica Gyrokinesis: um estudo piloto

A disfunção sexual feminina é um fenômeno comum entre as mulheres e pode estar relacionado a condições fisiopatológicas dos músculos do assoalho pélvico. O desuso, a debilidade e a hipotonicidade dos músculos do assoalho pélvico estão relacionados com a incapacidade orgástica, gerando prejuízo das relações sexuais femininas com impacto na qualidade de vida.

O objetivo foi identificar se o treinamento da musculatura do assoalho pélvico (MAP) por meio do Método Gyrotonic influencia na melhora da satisfação sexual e na qualidade de vida.

No Brasil, o Estudo da Vida Sexual do Brasileiro (EVSB), pesquisando 3.148 mulheres em 18 cidades, observou que 51% delas referiam algum tipo de disfunção ou insatisfação sexual.

De fato, as causas de insatisfação ou disfunção sexual nas mulheres são multifatoriais, envolvendo aspectos físicos, psicológicos, sociais, entre muitos outros.

Dados indicam que o desuso, a debilidade e a hipotonicidade da musculatura do assoalho pélvico (MAP) contribuem para a incapacidade orgástica. Logo, surge a hipótese de que o treinamento destes músculos poderia gerar efeito positivo na vida sexual das mulheres.

Resultados

Observou-se melhora e diferença significativa, indicando melhora na função sexual das voluntárias e diferença nas variáveis satisfação sexual, domínio psicológico e relações sociais aumentando qualidade de vida.

Conclusão

Os exercícios direcionados à MAP nas sessões do Método Gyrotonic se mostraram benéficos na avaliação da satisfação sexual feminina.

Confira aqui o artigo completo e confira um pouco de dicas no vídeo abaixo!

, , ,
Post anterior
Transtorno do Espectro Autista: o Pilates como aliado no tratamento
Próximo post
Pilates na terceira idade: 10 benefícios em adotar o método

Mais Posts:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Menu

Pin It on Pinterest

Share This