Alimentação e Pilates: O que comer antes das aulas?

Pilates e Alimentação

É muito frequente as pessoas me perguntarem nas consultas o que comer antes de fazer um exercício físico, e a resposta para muitas perguntas que envolvem a nutrição é universal: DEPENDE. Depende da modalidade, do horário, da duração, do metabolismo de cada um, das refeições anteriores, são tantas variáveis e por isso não existe uma resposta pronta.

Essa refeição antes do exercício é nomeada como refeição pré-treino, e essa é motivo de muitas dúvidas. Sempre digo que refeição pré-treino não é só aquela que se faz antes, são todas as alimentações feitas, horas e até dias antes do exercício. É importante lembrar que o nosso organismo é máquina maravilhosa que não para de trabalhar, então a absorção de nutrientes e a distribuição deles nas células é um processo contínuo.

Não consigo falar de eficiência metabólica sem falar de saúde. Um organismo equilibrado com fontes de alimentos naturais será sempre mais eficiente. Não se trata só de calorias, se trata de nutrir com diversidade e qualidade todas as células do corpo. Nossas células precisam diariamente de 44 a 50 nutrientes. E cada célula dessa é importante? SIM. Células formam tecidos, tecidos formam órgãos, órgãos formam sistemas, e o conjunto desses sistemas somos nós.

No método Pilates, o aluno assume diversas posições, deitado pra cima e pra baixo, sentado, em pé, em flexão de coluna, extensão, em quadrúpede e até posições invertidas, é uma prática quase que ilimitada onde as possibilidades caminham junto com a condição de cada um. Essas mudanças de posição devem ser levadas em consideração quando se pensa no que comer antes de uma sessão.

Vamos para a parte prática: o que devo comer antes da aula de Pilates?

Se sua aula de Pilates é pela manhã muito cedo, ou próximo do horário que você acorda, será preciso uma refeição leve com líquidos consumidos de uma forma limitada. Não costumo recomendar se exercitar em jejum, mas se a pessoa fez uma boa refeição no dia anterior, e não acorda com sensação de fome, pode ser uma alternativa. Visto que durante o sono, o maior gasto energético é direcionado para as atividades cerebrais. As frutas são ótimas fontes de carboidratos, e esse substrato é o mais importante para a manutenção de energia muscular para os exercícios. Mesmo sendo ótima alternativa, seu consumo deve ser equilibrado, ao alimentar-se a circulação será direcionada para o trato gastrointestinal, e ao se exercitar a circulação é direcionada para a musculatura esquelética. Você não vai querer uma “guerra de circulação” dentro de seu corpo.

Se sua aula é na hora do almoço, indico que faça um lanche antes e almoce depois da aula. No tradicional almoço brasileiro, arroz, feijão e carne, tem muitos alimentos que fermentam e passam mais tempo em transito intestinal. Essa fermentação pode distensão abdominal, alguns alimentos em particular tem mais propensão a causar isso, além do comportamento do organismo de cada pessoa. E com certeza, isso pode limitar as possibilidades da sua prática, tanto nas mobilidades de coluna, como em posições estáticas. O almoço costuma ser a refeição mais volumosa do dia.

Se sua aula é à noite, e você tiver feito um lanche à tarde, ainda terá energia suficiente acumulada para a aula, é preferível que o jantar venha após. Quanto mais perto da aula, mais leve deve ser a alimentação. Recomendo que cereais integrais, raízes e tubérculos sejam consumidos ao menos 1 hora antes do exercício. Abaixo disso, recomendo frutas como banana, maçã, pêra, unindo praticidade e qualidade nutricional. E se o tempo for mais apertado ainda, indico um copo de suco ou água de côco, além de ser saudável, fornecerá energia de forma rápida devido a simplicidade de absorção pelos mecanismos do intestino.

Alguns lembretes importantes.

  • Mantenha uma ótima hidratação, isso influencia todos os processos celulares do nosso corpo.
  • A carência de vitamina D é uma realidade apesar do sol forte que predomina no Brasil. Essa carência é ruim para a manutenção do cálcio nos ossos, além disso o cálcio circulante pode se depositar em processos inflamatórios nas articulações.
  • Aprecie os alimentos com seus sabores, reduza o uso de adoçantes, açúcares, sal e temperos industrializados.
  • Mastigue bem os alimentos, nossa digestão inicia na boca. A saciedade será melhor percebida e você evitará problemas intestinais.
  • Somos seres inteligentes, escute seu corpo, muitas vezes o organismo pede por uma nutrição de qualidade.

Bruno Macêdo
Educador Polestar Brasil
CRN 26826

, , ,
Post anterior
PILATES KIDS: DIVERSÃO EM MOVIMENTO
Próximo post
A FORÇA DA GRAVIDADE E O AMBIENTE PILATES

Mais Posts:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Menu

Pin It on Pinterest

Share This